Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Julho, 2011

Robson Feitosa

Inovação não é sinônimo de algo complicado. Ao contrário do que muitos pensam, as maiores inovações surgem de idéias simples que resolvem plenamente o problema observado. É em toda sua simplicidade que a roda, a maior invenção de todos os tempos, move o mundo moderno. Autor: Robson Feitosa

Desconhecido

Porque a bondade que nunca repreende não é bondade: é passividade. Porque a paciência que nunca se esgota não é paciência: é subserviência. Porque a serenidade que nunca se desmancha não é serenidade: é indiferença. Porque a tolerância que nunca replica não é tolerância: é imbecilidade. Autor: Desconhecido PS. Caso você saiba o nome do autor, envie para contato@epigrafeslegais.org  para que possamos postar os créditos da autoria.

Paulo Freire

"O assistencialismo é uma forma de ação que rouba ao homem condições à consecução de uma das necessidades fundamentais da alma humana - a responsabilidade (...). No assistencialismo não há responsabilidade. Não há decisão. Só há gestos que revelam passividade e domesticação do homem." Autor: Paulo Freire Livro: Educação e atualidade brasileira, 1959.

Robson Feitosa

Vejo a Educação a Distância como a modalidade de ensino da acessibilidade. Quebram-se as barreiras geográficas, muda-se a percepção de tempo e ganha-se em agilidade na troca de informação. Autor: Robson Feitosa

Troque uma reclamação por uma ação!

Troque uma reclamação por uma ação! Muita gente prefere jogar palavras ao vento, encher o ouvido dos outros e acomodar-se em seu estado de inércia. As palavras não mudam nada, mas elas tem um potencial gigantesco para isso. Portanto, muito cuidado com o que você fala, e mais cuidado ainda com suas ações. Até uma omissão tem seu grau de responsabilidade. Ninguém pode se abster da vida! Portanto, viva plenamente! Aja! Autor: Robson Feitosa

Mas, se ... isso ... se aquilo!

Hoje eu vou contar uma pequena história, que me ocorreu em sala de aula. Certa dia Joãozinho (não vamos citar nomes), cansado por cuidar da família, trabalhar e estudar, chegou para mim e falou: "- Professor, se meus pais tivessem condições de bancar meus estudos quando eu era jovem, hoje eu seria médico! Porque eu não tenho medo de estudar!". Depois de ouví-lo, eu perguntei qual era seu sonho hoje, explicando que o passado não pode ser mudado, mas o futuro é você quem faz. Ele continuou afirmando que sonha em ser médico, mas preferia se abster do sonho para sustentar sua família e apoiar os sonhos do filho. Logo em seguida eu retruquei: "- E por acaso você já morreu? Se isso é realmente seu sonho, corra atrás, haja, movimente-se! Não se acomode com um 'mas, se ... isso ... se aquilo ... !'" Autor: Robson Feitosa