20 de nov. de 2010

Paulo Freire

O mundo não é. O mundo está sendo. Como subjetividade curiosa, inteligente, interferidora na objetividade com que dialeticamente me relaciono, meu papel no mundo não é só o de quem constata o que ocorre mas também o de quem intervém como sujeito de ocorrências. Não sou apenas objeto da História mas seu sujeito igualmente.
Autor: Paulo Freire
Livro: Pedagogia da Autonomia

Examinai tudo. Retende o bem. 1 Tessalonicenses - 5, 21