5 de dez de 2009

Freud

Ora o doente concorda que cometeu um erro ao rejeitar o desejo patogênico e aceita total ou parcialmente esse desejo; ora o próprio desejo é orientado para um objetivo mais elevado e por esse motivo, menos sujeito à objeção (é o que chamo de sublimação do desejo); ora reconhece-se que era correto rejeitar o desejo, mas substitui-se o mecanismo automático e portanto insuficiente do recalcamento por um juízo de condenação moral proferido com a ajuda das mais altas instâncias espirituais do homem; é em plena luz que se triunfa sobre o desejo.
Autor: Freud
Livro: Cinco lições sobre a psicanálise

Examinai tudo. Retende o bem. 1 Tessalonicenses - 5, 21