2 de set. de 2009

Elienai Cabral

"Deus de tão perfeito conheceu a plenitude do tédio ... enfadado com a previsibilidade de um mundo impecável, inventou o amor ... A invenção do amor, ou dos amigos, é o encontro com o imperfeito e aqui está a sua grandeza ... Logo depois de inventar o imperfeito, Deus conheceu a lágrima da frustração. A dor mais feliz que espíritos livres sentem. Viu as costas dos que mais amou. Duvidou sem desistir, o Criador chorou mais uma vez. Desta lágrima descobriu o perdão ... De tão cansados do incerto, angustiados por tanta liberdade, os amigos inventaram ídolos, ... Inventaram a religião, vestiram-se de absoluto. Deus que do absoluto fugiu em desespero, que inventara o imperfeito, imperfeito se fez ... Aperfeiçoou a imperfeição. Humanizou-se entre humanos ... Imperfeito, salvou-nos da perfeição."
Autor: Elienai Cabral
Livro: Salvos da perfeição : mais humanos e mais perto de Deus

Examinai tudo. Retende o bem. 1 Tessalonicenses - 5, 21